José Alcides Pinto – O Poeta Maldito

Nasceu em Santana do Acaraú, 23 de outubro de 1933, filho de José Andrade Pinto e Maria do Carmo Pinto. Começou tentando a vida como bedel de alunos, -no Colégio Pio Americano, do Rio de Janeiro, onde diplomou-se em jornalismo e biblioteconomia. Colaborou em “O Jornal”, “Diário Carioca”, “Correio da Manhã”, na revista “Leitura” e em outros periódicos com suplementos literários. Redator do Ministério da Educação. Abandonou o magistério (UFC), para dedicar-se a sua obra literária e ser fazendeiro no interior do Estado. Escritor de vanguarda, promoveu a implantação do movimento concretista no Ceará. Poeta, romancista, contista, novelista, teatrólogo e crítico literário, premiado em 19697 1970 e 1982 pela UFC e Prefeitura Municipal de Fortaleza. Tem cerca de 40 livros editados, entre os quais se alinham: Cantos de Lúcifer (1966); Os Catadores de Siri (1966); O Acaraú – Biografia de um Rio (1979); Ordem e Desordem (1982); Guerreiros da Fome (1984): Estação da Morte, O Enigma e O Sonho (romances que formam a trilogia); Tempo dos Mortos; Editor de Insônia (1964); Equinócio (teatro, 1973); Política da Arte 1 e 11(1981, 1986). A obra do autor foi amiúde estudada por José Lemos Monteiro e sobre a mesma têm-se reportado Cândida Galeno, Raimundo de Menezes, Sânzio de Azevedo e outros.

Num sábado 31/08/2008 foi atropelado por uma motocicleta na Rua General Sampaio, próximo a sua residência, no Centro da Capital. O escritor fazia uma de suas andanças rotineiras pelo bairro. Reconhecido no local, ele foi levado ao Instituto Doutor José Frota (IJF). No hospital, foi atendido pelo médico Almir Gomes, membro da Sociedade Brasileira dos Médicos Escritores (Sobrames). Alcides sofreu ferimentos graves, com ruptura de órgãos vitais e traumatismo craniano. A morte cerebral foi diagnosticada na na noite seguinte.  O corpo foi velado na Academia Cearense de Letras.

Obra; Os Verdes Abutres da Colina

Deixou seis filhos, de três casamentos. Deixou, ainda, uma vasta obra que inclui poesia, teatro, romance, contos, crônica, memórias, aforismos e crítica literária.

Sua literatura foi profundamente marcada pelos temas malditos: o sexo e a morte.

Créditos: Portal da históra do Ceara e ao Jornal de Poesia

Alcides Pinto pela boca dos outros:

Furias do Oráculo – O Abora de José Alcides Pinto por Floriano Martins

Jornal de Poesia

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s